13 de mar de 2013

SALMO 1 1 Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. 2 Antes, o seu prazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite. 3 Ele é como árvore plantada junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem sucedido. 4 Os ímpios não são assim; são, porém, como a palha que o vento dispersa. 5 Por isso, os perversos não prevalecerão no juízo, nem os pecadores, na congregação dos justos. 6 Pois o SENHOR conhece o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios perecerá. O caminho da bênção está aberto diante do homem mediante uma vida de companheirismo incessante com o Deus de Israel. Não é de maneira nenhuma um atalho em que a razão humana pode descobrir por si só, mas é um dom do Redentor de Israel. Como a fonte de vida, o Senhor mostra o modo de vida. Todos os outros caminhos conduzem à ruína. Tais cursos de vida escolhidos pelo eu são por definição o oposto do modo do Senhor, modos que divergem de Sua lei. Os que rejeitam o Senhor, o Deus de Israel, e a Sua lei são descritos em condições negativas como os irreligiosos (Sal. 119:51, 78) porque não há nenhum outro Deus além do Senhor.
OS ENSINOS DE CRISTO Em Seu belo sermão da montanha, Jesus explicou o que Deus considera mais precioso e o que proporciona verdadeira felicidade. Os discípulos de Cristo haviam sido influenciados pelos ensinos dos rabinos e foi para esses discípulos que as primeiras lições de Cristo foram destinadas. Do mesmo modo, elas se destinam a nós, pois precisamos aprender as mesmas coisas. "Bem-aventurados os humildes de espírito", disse Cristo. Mat. 5:3. Os humildes de espírito são aqueles que reconhecem sua própria pecaminosidade e necessidade espiritual. Sabem que em si mesmos nada podem fazer de bom. Desejam receber auxílio de Deus e para eles é dada essa bênção. "Porque assim diz o Alto, o Sublime, que habita a eternidade, o qual tem o nome de Santo: Habito no alto e santo lugar, mas habito também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos e vivificar o coração dos contritos." Isa. 57:15. "Bem-aventurados os que choram." Mat. 5:4. Isso não significa murmurar ou viver em lamúrias, nem apresentar uma disposição amarga e um semblante mal-humorado, mas a bem-aventurança refere-se aos que se entristecem verdadeiramente por seus pecados e buscam o perdão de Deus. A todos esses Ele perdoará generosamente. O Senhor diz: "Tornarei o seu pranto em júbilo e os consolarei; transformarei em regozijo a sua tristeza." Jer. 31:13. "Bem-aventurados os mansos." Mat. 5:5. Disse Jesus: "Aprendei de Mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma." Mat. 11:29. Quando era maltratado, Jesus pagava o mal com o bem. Nisso, Ele nos deu o exemplo, para que agíssemos do mesmo modo. "Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça." Mat. 5:6. Justiça é a prática de ações corretas. É obediência à lei de Deus, pois nessa lei tais princípios estão arrolados. A Bíblia diz: "Todos os Teus mandamentos são justiça." Sal. 119:172. Por Seu próprio exemplo, Cristo nos ensinou a obedecer tais preceitos. A justiça da lei é vista em Sua própria vida. Temos fome e sede de justiça quando desejamos ter pensamentos, palavras e ações semelhantes aos de Cristo. E podemos ser semelhantes a Ele se desejarmos. Podemos ter nossa vida como Sua vida e nossas ações em harmonia com a lei de Deus. O Espírito Santo trará o amor de Deus ao coração de modo que nos deleitaremos em cumprir Sua vontade. Deus está mais disposto a dar o Seu Espírito do que os pais desejam dar boas dádivas aos seus filhos. Sua promessa é: "Pedi, e dar-se-vos-á." Luc. 11:9. Todos os "que têm fome e sede de justiça... serão fartos." Mat. 5:6. "Bem-aventurados os misericordiosos." Mat. 5:7. Ser misericordioso é tratar as pessoas melhor do que merecem. Assim Deus nos tem tratado. Ele tem prazer em atos de misericórdia. É compassivo para com os ingratos e maus. Do mesmo modo nos ensina a tratar os semelhantes: "Sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou." Efés. 4:32. "Bem-aventurados os limpos de coração." Mat. 5:8. Deus dá mais valor ao que somos do que àquilo que dizemos que somos. Ele não Se importa com nossa aparência exterior; o que deseja é que sejamos puros de coração, então todos os nossos atos e palavras serão justos.