20 de nov de 2012

MARCA DE UM CORAÇÃO RENOVADO
Eis que tenho suspirado por teus preceitos; vivifica-me em tua justiça.(Salmos 119.40). Eis que tenho suspirado por teus preceitos. Ele pode pelo menos alegar sinceridade. Acha-se profundamente prostrado pelo senso de sua fraqueza e pela necessidade da graça; mas deseja em todas as coisas conformar-se à vontade divina. Onde nossos anelos estão, ali estamos nós diante dos olhos de Deus. Se ainda não atingimos a perfeição, não devemos desistir de suspirar por ela. Aquele que nos deu o desejo há de nos dar também a obtenção. Os preceitos são penosos para os ímpios, e portanto, quando nossa transformação corresponde a nossa aspiração por eles, temos clara evidência de conversão, e podemos com segurança concluir que aquele que começou a boa obra também a completará. Qualquer pessoa pode ansiar pelas promessas; porém ansiar pelos preceitos é a marca registrada de um coração renovado.

A Grande Esperança #3 - Sem graça, não há esperança


19 de nov de 2012

DESVIAR OS OLHOS .
“Desvia meus olhos de contemplar a vaidade, e vivifica-me em teu caminho.”(Salmo 119.37). Davi havia orado por seu coração, e alguém poderia pensar que os olhos pudessem ser influenciados pelo coração, de modo que não houvesse necessidade de fazê-los objetos de petição especial; nosso autor, porém, está resolvido a fazer a certeza duplamente infalível. Se os olhos não vêem, talvez o coração não deseje. De qualquer forma, fecha-se uma porta para a tentação quando deixamos de olhar para alguma quinquilharia bem adornada. O pecado inicialmente penetrou a mente humana através dos olhos, e estes continuam ainda sendo a porta favorita para as inconvenientes seduções de Satanás; daí a necessidade de uma dupla vigilância sobre esse portal. A oração não visa tanto a que os olhos sejam fechados, mas que sejam 'desviados'; pois nos é indispensável que eles estejam abertos, porém direcionados para os objetos certos. É possível que você esteja neste exato momento fitando alguma tolice; se esse é o caso, você preciso desviar os olhos; e se estiver contemplando as coisas celestiais, será sábio rogar que seus olhos sejam guardados da vaidade. Por que olhamos para a vaidade? — elas se desvanecem como o vapor. Por que não contemplamos as coisas eternas? O pecado é vaidade; o lucro injusto é vaidade; a auto-apreciação exagerada é vaidade; aliás, tudo o que não procede de Deus pertence ao mesmo catálogo.

A Grande Esperança #2 - Defensores da Esperança


15 de nov de 2012

PELO PODER DA DIVINA GRAÇA
Os competidores nos antigos jogos, depois de se haverem submetido à renúncia e rígida disciplina, não estavam ainda assim seguros da vitória. "Não sabeis vós", pergunta Paulo, "que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio?" (I Coríntios. 9:24). Não importa com quanto entusiasmo e ardor tivessem corrido os competidores, o prêmio seria apenas de um. A mão de um apenas agarraria o cobiçado galardão. Alguns podiam dedicar supremo esforço para obter o prêmio, mas ao estenderem a mão para apanhá-lo, outro, um instante antes dele, poderia arrebatar-lhe o cobiçado tesouro. Tal não é o caso na milícia cristã. Ninguém que se submete às condições ficará desapontado ao fim da carreira. Ninguém que seja fervoroso e perseverante deixará de alcançar sucesso. Não é dos ligeiros a carreira, nem dos valentes a peleja. O mais fraco dos santos, bem como o mais forte, podem alcançar a coroa de glória imortal. Podem vencer todos os que, pelo poder da divina graça, conduzem a vida em conformidade com a vontade de Cristo. A prática, nos pormenores da vida, dos princípios estabelecidos pela Palavra de Deus, é não raro olhada como coisa sem importância - assunto por demais trivial para que se lhe dê atenção. Mas considerando o que está em jogo, nada é pequeno quando ajuda ou estorva. Cada ato acrescenta seu peso na balança que determina a vitória ou fracasso na vida. E a recompensa dada aos que triunfam será proporcional à energia e fervor com que lutaram.
ELE ESTARÁ CONOSCO ATÉ O FIM
A promessa do Espírito Santo não é limitada a algum século ou raça. Cristo declarou que a divina influência do Espírito deveria estar com Seus seguidores até o fim. Desde o dia do Pentecoste até ao presente, o Confortador tem sido enviado a todos os que se rendem inteiramente ao Senhor e a Seu serviço. A todos os que aceitam a Cristo como um Salvador pessoal, o Espírito Santo vem como consolador, santificador, guia e testemunha. Quanto mais intimamente os cristãos andam com Deus, tanto mais clara e poderosamente testificam do amor do Redentor e da Sua graça salvadora. Os homens e mulheres que através dos longos séculos de perseguição e prova desfrutaram, em larga escala, a presença do Espírito em sua vida, permaneceram como sinais e maravilhas no mundo. Revelaram, diante dos anjos e dos homens, o transformador poder do amor que redime. Os que no Pentecoste foram dotados com poder do alto, não ficaram por isto livres de tentações e provas. Enquanto testemunhavam da verdade e da justiça, eram repetidamente assediados pelo inimigo de toda a verdade, o qual procurava roubá-los de sua experiência cristã. Eram compelidos a lutar com todas as faculdades dadas por Deus, a fim de alcançarem a estatura de homens e mulheres em Cristo Jesus. Diariamente oravam por novos suprimentos de graça, para que pudessem subir mais e mais na escala da perfeição. Sob a operação do Espírito Santo, mesmo os mais fracos, pelo exercitar fé em Deus,aprendiam a melhorar as faculdades conseguidas, e a se tornarem santificados, refinados e enobrecidos. Ao se submeterem em humildade à modeladora influência do Espírito Santo, recebiam a plenitude da Divindade e eram modelados à semelhança do divino.

14 de nov de 2012

A Vida é Difícil, Deus é Misericordioso, o Céu Está Garantido!


Regozije-se Israel no seu Criador. " (Salmo 149.2). Alegre-se de coração,mas cuide de que sua alegria tenha sua fonte no Senhor. Você tem muitos motivos para alegrar-se em seu Deus, pois pode cantar com Davi: "Deus... minha grande alegria." Alegre-se de que o Senhor reina, que Jeová é Rei! Regozije-se de que Ele se assenta no trono e governa todas as coisas! Cada atributo de Deus deve tornar-se um novo raio de sol da nossa alegria. Porque Ele é sábio, faz-nos alegres, sabendo como sabemos da nossa própria insensatez. Porque Ele é poderoso, deve levar-nos ao regozijo, nós que trememos em nossa fraqueza. Porque Ele é eterno, deve ser sempre um motivo de alegria, quando sabemos que secamos como a erva. Porque Ele é cheio de graça, porque transborda graça e porque esta graça Ele nos deu em aliança; porque ela é nossa para purificar-nos, nossa para guardar-nos, nossa para aperfeiçoar-nos, nossa para levar-nos à glória - tudo isto deve levar-nos a ficar contentes nele.