19 de ago de 2011

A MÚSICA QUE AGRADA A DEUS

A música foi instituída por Deus, no Céu, a fim de ser executada pelos seres criados como um ato de adoração ao Criador. Adorar é a expressão de amor e gratidão por quem Deus é e pelo que fez e faz por nós. Quando adoramos a Deus, estamos oferecendo todo o nosso ser a Ele. Assim, adorar é agradar a Deus e é ação contínua entre os seres celestiais. A adoração está centralizada unicamente em Deus e não no gosto do adorador. A música é um meio tão intenso e importante de contato dos seres criados com seu Criador que Deus doou a Lúcifer capacidade inigualável para executar e dirigir a música celestial. Assim ficou instituída, desde o Céu, a Música Sacra, separada para um propósito santo - agradar a Deus. Com a decisão de Lúcifer de não mais adorar a Deus e sim de ser adorado, foi destituído de suas funções e privilégios e expulso do Céu. Não perdeu porem, a capacidade musical que recebeu. Aqui em nosso planeta usa sua esplêndida capacidade para fazer também da música um ato para sua adoração e desvirtuar, assim, a adoração a Deus. Exemplo disso: A música rock foi projetada para ser “sentida” antes que ouvida. Os ritmos gerados pela bateria é parte importante nesta experiência. Simplesmente colocar palavras religiosas nesta música não anula seus efeitos nem a torna cristã. Muitos acreditam que a única maneira efetiva de alcançar a nova geração é incorporar a música rock e a bateria no serviço de adoração. Eu sei por experiência de ter frequentado no passado igrejas com esse tipo de adoração, que tal pensamento é errado. Na filosofia bíblica de música a melodia e a harmonia têm prevalência sobre o ritmo, portanto todos os instrumentos de percussão foram excluídos da adoração. A bateria não produz melodia nem harmonia, apenas ritmo e, além disso, não tem habilidade para acompanhar a voz humana sem sufocá-la. Uma completa contradição aos princípios bíblicos de adoração repetidamente vistos no velho e novo testamento. Conclui-se facilmente, que não existe lugar para a bateria no serviço de adoração atual. Como cristãos que querem adorar a Deus no Céu e trazer glória a Jesus poderiam tentar harmonizar as origens pagãs da bateria, do rock e do jazz em nossos cultos de adoração? Na Bíblia o apóstolo relata que verdadeiros adoradores adorarão a Deus em espírito e em verdade, porque são estes que o Pai procura para seus adoradores (João 4: 23). Paulo diz para orar e cantar com o espírito e com a mente (1 Cor. 14:15).

Nenhum comentário: