9 de out de 2011

BREVIDADE DO TEMPO

Vivemos num século mau. ... Por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos está esfriando. Enoque andou com Deus trezentos anos. Agora a brevidade do tempo está sendo apresentada com insistência como motivo para buscar a justiça. Será necessário que os terrores do dia de Deus sejam mantidos diante de nós a fim de compelir-nos à ação correta? O caso de Enoque está perante nós. Ele andou com Deus centenas de anos. Viveu numa época corrupta, quando a poluição moral proliferava por toda parte ao seu redor; ele, no entanto, acostumou a mente à devoção, a amar a pureza. Sua conversação era sobre coisas celestiais. Ele educou a mente neste sentido, e levava o cunho divino. Sua fisionomia estava radiante da luz que resplandece na face de Jesus. Enoque tinha tentações assim como nós. Estava rodeado de uma sociedade não mais favorável à justiça do que aquela que nos rodeia. A atmosfera respirada por ele estava contaminada de pecado e corrupção, do mesmo modo que a nossa; ele levou, no entanto, uma vida de santidade. Não ficou maculado pelos pecados predominantes na época em que viveu. Assim também nós podemos permanecer puros e íntegros. Ele era uma figura dos santos que vivem no meio dos perigos e corrupções dos últimos dias. Foi trasladado por sua fiel obediência a Deus. Assim, também, os fiéis, que ficarem vivos, serão trasladados. Testimonies, vol. 2, págs. 121 e 122. "Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus". Mat. 5:8. Durante trezentos anos Enoque estivera procurando pureza de coração, para que pudesse estar em harmonia com o Céu. Durante três séculos andara com Deus. Dia após dia almejara uma união mais íntima; cada vez mais estreita se tornara a comunhão até que Deus o tomou para Si. Estivera no limiar do mundo eterno, havendo apenas um passo entre ele e o país da bem-aventurança; e, agora, abriram-se os portais; o andar com Deus, durante tanto tempo praticado em Terra, continuou, e ele passou pelas portas da santa cidade - o primeiro dentre os homens a entrar ali. ... Deus nos está chamando para tal comunhão. Como era a de Enoque, deve ser a santidade de caráter dos que serão remidos dentre os homens por ocasião da segunda vinda do Senhor.

Nenhum comentário: