8 de dez de 2010

O CÉU, VERANEIO DO CRISTÃO

Cristo em breve virá pela segunda vez. Deveríamos falar sobre isso muitas vezes. Deveria ser o mais elevado pensamento de nossa mente. Ele vem, com poder e grande glória, e todo olho O verá. Todos os santos anjos O acompanharão. Desse cortejo, João escreve: "Vi e ouvi uma voz de muitos anjos ao redor do trono, dos seres viventes e dos anciãos, cujo número era de milhões de milhões e milhares de milhares." Apoc. 5:11. A trombeta ainda não soou. Aqueles que desceram à tumba ainda não proclamaram: "Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão?" I Cor. 15:55. Os justos mortos ainda não foram arrebatados com os santos vivos para encontrar seu Senhor no ar. Mas está próximo o tempo em que terão cumprimento as palavras proferidas pelo apóstolo Paulo: "Porquanto o Senhor mesmo, dada a Sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor." I Tess. 4:16 e 17. Precisamos ser transformados a fim de sermos semelhantes ao Salvador. (Filip. 3:21.) Agora é o tempo para acrescentarmos à vida diária as virtudes da vida de Cristo. Não temos tempo a perder. Se falharmos em nossa edificação de caráter, perderemos a vida eterna. Precisamos edificar sobre o verdadeiro fundamento. ... Precisamos fazer a obra de Cristo e estar constantemente vigiando e orando. Então estaremos prontos para Seu aparecimento, preparados para receber a vida eterna. Todos quantos queiram serão vencedores. Lutemos zelosamente para alcançar o padrão estabelecido diante de nós. Cristo conhece nossas fraquezas, e a Ele devemos ir diariamente em busca de auxílio. Não nos é necessário obter força com um mês de antecedência. Devemos vencer dia a dia. A Terra é o lugar de preparação para o Céu. O tempo passado aqui é o inverno do cristão. Aqui os ventos gelados da aflição sopram sobre nós, e as ondas de angústias rolam contra nós. Mas no futuro próximo, quando Cristo vier, sofrimento e lamentação terão fim, para sempre. Então será o veraneio do cristão. Todas as provas terão findado e não haverá mais doença ou morte. "E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram." Apoc. 21:4. Manuscrito 28, 1886.

Nenhum comentário: