16 de jan de 2011

PRIMEIRO, O MAIS IMPORTANTE

Buscai primeiro o reino de Deus, e a Sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas. Mat. 6:33. Essa promessa jamais falhará. Não podemos desfrutar o favor de Deus a menos que cumpramos as condições sob as quais esse favor é concedido. Assim fazendo nos virá aquela paz, contentamento e sabedoria que o mundo não pode dar nem tirar. O espírito humilde e o coração agradecido elevar-nos-á acima das pequeninas provas, assim como das reais dificuldades. Quanto menos fervorosos, ativos e vigilantes formos no serviço do Mestre, tanto mais a mente demorará no próprio eu, fazendo de um pequeno monte, montanhas de dificuldades. ... A responsabilidade da causa de Deus, posta sobre Moisés, tornou-o um homem de poder. Enquanto, por tantos anos, apascentava os rebanhos de Jetro, obteve uma experiência que lhe ensinou a verdadeira humildade. ... A ordem de libertar Israel parecia avassaladora; mas, no temor de Deus, Moisés aceitou a incumbência. Eis o resultado: Ele não rebaixou a obra ao nível de sua deficiência; mas, no poder de Deus, fez os mais sinceros esforços por elevar-se e santificar-se para sua sagrada missão. Moisés jamais se teria preparado para sua posição de confiança, se esperasse que Deus fizesse a obra em seu lugar. Virá luz do Céu aos que sentem necessidade dela, e que a buscam como a tesouros escondidos. Mas se nos encolhemos num estado de inatividade, dispostos a ser controlados pelo poder de Satanás, Deus não nos enviará Sua inspiração. A menos que exerçamos ao máximo os poderes que nos conferiu, permaneceremos para sempre fracos e ineficientes. Muita oração e o mais vigoroso exercício mental são necessários, se quisermos estar preparados para fazer a obra que Deus nos quer confiar. Muitos jamais alcançam a posição que bem poderia ocupar, porque esperam que Deus faça por eles aquilo que eles mesmos teriam força, dada por Deus, para fazer. Todos os que se preparam para a utilidade nesta vida têm de ser educados pela mais severa disciplina, mental e moral, e então Deus os ajudará, combinando com o esforço humano o poder divino. ... Hábitos maus não se vencem por um esforço singular. Unicamente mediante longa e rija luta é dominado o próprio eu. Testimonies, vol. 4, págs. 610-612.

Nenhum comentário: