28 de mar de 2011

TODOS FORAM ESCOLHIDOS...

De uma raça de escravos, os israelitas haviam sido exaltados acima de todos os povos para serem o tesouro peculiar do Rei dos reis. Deus os separara do mundo a fim de que lhes pudesse confiar um sagrado depósito. Fizera deles os guardas de Sua lei, e propunha, por meio deles,conservar entre os homens o conhecimento de Si. Assim a luz do Céu resplandeceria a um mundo rodeado de trevas, e ouvir-se-ia uma voz apelando a todos os povos para deixarem sua idolatria a fim de servir ao Deus vivo. “Deus ordenou a Moisés acerca de Israel: ‘E Me farão um santuário, e habitarei no meio deles’ (Êxodo 25:8), e habitou no santuário, no meio de Seu povo. Durante toda a fatigante peregrinação deles no deserto, o símbolo de Sua presença os acompanhou. “A veste branca de inocência foi usada por nossos primeiros pais,quando foram postos por Deus no santo Éden. Esse vestido de luz,era um símbolo de suas vestes espirituais de celeste inocência. Se permanecessem leais a Deus, continuaria sempre a envolvê-los. Ao entrar o pecado, porém, cortaram sua ligação com Deus, e desapareceu a luz que os cingia. Nus e envergonhados, procuraram suprir os vestidos celestiais cosendo folhas de figueira para uma cobertura. Isso têm feito os transgressores da lei de Deus desde o dia em que dão e Eva desobedeceram. Têm cosido folhas de figueira para cobrir a nudez causada pela transgressão. Têm-se coberto com vestidos de sua própria feitura; por suas próprias obras têm procurado encobrir os pecados e tornar-se aceitáveis a Deus.” “O espírito de justificação própria originou-se com o pai da mentira;foi alimentado por nossos primeiros pais logo que se renderam à influência de Satanás, e tem sido apresentado por todos os filhos e filhas de Adão. Em vez de humildemente confessarem os pecados, procuram escudar-se lançando a culpa sobre outros, sobre as circunstâncias ou sobre Deus, fazendo mesmo das bênçãos divinas um motivo para murmuração contra Ele.” Deus lhes roga que aprendam de Cristo a Sua mansidão. Ponham de lado sua disposição de procurar os erros de outros. Voltem a atenção a seus próprios defeitos.A justiça própria de vocês é nauseante ao Senhor Jesus Cristo.Há um grande número de professos cristãos que não seguem realmente a Jesus. Não carregam a cruz por apropriada abnegação e sacrifício próprio. Embora façam grande profissão de ser cristãos zelosos, entretecem no tecido do caráter tantos fios de suas próprias imperfeições, que o belo padrão é corrompido. Deles, Cristo diz: ‘Vocês se jactam de serem ricos e desenvolvidos com supostos conhecimentos espirituais. A menos que se convertam, não podem ser salvos, pois arruinariam o Céu com sua sabedoria não santificada. Não posso endossar seu espírito e obra. Vocês não agem de acordo com o divino Exemplo.Os que estão nessa condição são intencionalmente ignorantes. Não discernem o verdadeiro caráter do pecado.Professando ter um conhecimento da verdade, agem em espírito como aprendizes. Não parecem compreender a verdade que deve ser expressa em palavras e atos para demonstrar uma evidente diferença entre aquele que serve a Deus e aquele que não O serve. “Deus quer que todos os homens se salvem, pois amplas providências foram tomadas ao dar Seu Filho unigênito para pagar o resgate do homem. Os que perecerem, perecerão por haverem recusado ser adotados como filhos de Deus por meio de Cristo Jesus. “Todos quantos preferem o reino de Cristo – reino de amor, justiça e paz –, colocando os interesses do Mesmo acima de todos os outros, estão ligados ao mundo do alto, e pertencem-lhes todas as bênçãos necessárias a esta vida.

Nenhum comentário: