9 de jul de 2011

PERFEITA HARMONIA ENTRE A LEI E O EVANGELHO

Não há mistério na lei de Deus. O mais débil intelecto pode apreender essas regras para regular a vida e formar um caráter à semelhança do Modelo Divino. Se os filhos dos homens na melhor de sua capacidade, obedecessem a essa lei, eles obteriam força de intelecto e poder de discernimento para compreender ainda mais dos propósitos e planos de Deus. E esse progresso não só pode ser continuado na vida presente, mas pode prosseguir através dos séculos eternos.Quão maravilhosa em sua simplicidade, sua abrangência e perfeição, é a lei de Deus! Nos propósitos e tratos de Deus há mistérios que a mente finita é incapaz de compreender. E é porque não podemos penetrar os segredos da sabedoria e poder infinitos que somos tomados de reverência pelo Altíssimo. Há perfeita harmonia entre a lei de Deus e o evangelho de Jesus Cristo. "Eu e o Pai somos um", diz o Grande Mestre. João 10:30. O evangelho de Cristo são as Boas Novas da graça, ou favor, pelas quais pode o homem ser livre da condenação do pecado e habilitado a prestar obediência à lei de Deus. O evangelho aponta para o código moral como a regra da vida. Essa lei, por suas reivindicações de obediência inalterável, está continuamente encaminhando o pecador para o evangelho do perdão e da paz. Diz o grande apóstolo: "Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma! Antes, estabelecemos a lei." Rom. 3:31. E mais, ele declara que "a lei é santa; e o mandamento, santo, justo e bom". Rom. 7:12. Ordenando supremo amor a Deus, e igual amor aos semelhantes, é indispensável tanto à glória de Deus como à felicidade humana. Pela desobediência às ordens de Deus, o homem caiu sob a condenação de Sua lei. Esta queda exigiu que a graça de Deus se manifestasse em favor dos pecadores. Jamais teríamos conhecido o significado da palavra "graça" se não tivéssemos caído. Deus ama os anjos sem pecado, os quais fazem o Seu serviço e são obedientes a Suas ordens; mas Ele não lhes concede graça. Esses seres celestiais nada sabem de graça; jamais necessitaram dela, porque jamais pecaram. Graça é um atributo de Deus, imerecidamente manifestado para com os seres humanos. Nós não o procuramos, mas ele foi enviado a nossa procura. Deus Se regozija em outorgar esta graça a cada um que a deseje. A todos nós Ele apresenta termos de misericórdia, não porque sejamos dignos, mas porque somos completamente indignos. Nossa necessidade é a qualificação que nos dá a certeza de que receberemos esse dom. Mas Deus não usa a Sua graça para tornar a Sua lei sem efeito, ou para que ocupe o lugar de Sua lei. ... A graça de Deus e a lei do Seu reino estão em perfeita harmonia; andam de mãos dadas. Sua graça torna possível aproximarmo-nos dEle em fé. Recebendo-a, e deixando que ela atue em nossa vida, testificamos da validade da lei; exaltamos a lei e tornamo-la gloriosa vivendo os seus princípios mediante o poder da graça de Cristo; e mediante a obediência perfeita e de coração à lei de Deus, testemunhamos do poder da redenção perante o universo do Céu, e perante o mundo apóstata que está tornando vã a lei de Deus.

Nenhum comentário: