11 de fev de 2012

VALE A PENA SER CRISTÃO?



Vamos perguntar-nos concretamente se vale a pena ser cristão, apesar de vivermos em um país considerado cristão, com raízes e tradições cristãs. Que valor tem para nós o cristianismo, o verdadeiro cristianismo, nos dias de hoje?
Voltaire, ateu convicto, foi convidado certa vez por Frederico o Grande, rei da Prússia. Na hora dos brindes,ele ergueu sua taça e disse, zombando: “Troco meu lugar no céu por um marco prussiano”. Um silêncio constrangedor dominou o ambiente por alguns instantes,até que outro convidado à mesa do rei voltou-se para Voltaire e respondeu: “Meu senhor, na Prússia temos uma lei: quem tem algo para vender deve provar que o objeto à venda realmente lhe pertence. O senhor pode comprovar que possui um lugar no céu?”
Possuir um lugar no céu – é isso que realmente importa!A Bíblia nos mostra a condição para recebê-lo:ter genuína unidade de vida com Jesus! Isso acontece através do novo nascimento (veja João 3.1-8). Nascemos de novo espiritualmente pela fé pessoal em Jesus Cristo, e assim nos tornamos filhos de Deus: “Mas, a todos quantos o receberam (a Jesus), deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus (renascerem espiritualmente),a saber, aos que crêem no seu nome” (João 1.12). Freqüentemente se ouve: “Afinal, todos são filhos de Deus!” Mas, conforme a Bíblia, isso não é verdade!
Trata-se realmente de um grande engano, que leva muitas pessoas a se acomodarem e tranqüilizarem numa falsa segurança com relação ao seu destino eterno. Todos os
homens são criaturas de Deus, mas filhos de Deus – os únicos que terão um lugar no céu – são somente aqueles que nasceram de novo através do Espírito Santo,como Jesus disse: “Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito Santo não pode entrar no reino de Deus” (João 3.5).Quem nasceu de novo, como Jesus explicou, tem a confirmação e o testemunho do Espírito Santo em seu coração: “Agora sou um filho de Deus!” Isso não é sinal de orgulho, e sim de humildade, pois a pessoa salva não se baseia mais em suas próprias obras, mas unicamente no Senhor Jesus Cristo.

Nenhum comentário: